consultoriaead10@gmail.com
33998351963
  • 33998351963
  • consultoriaead10@gmail.com
>
Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil Imagem
Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil
POR: R$ 49,90

ou 12x de R$ 4,88 com juros

Comprar

Agronomia

Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil

Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil

Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil. Curso: Agronomia. Produção Textual Unopar | Anhanguera

mais informações

Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil

Portfólio Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil. Curso: Agronomia. Produção Textual Unopar | Anhanguera

mais informações

As combinações acima não possuem estoque.

Só temos 31 em estoque. Adicionamos todos em seu carrinho. Compre logo antes que acabe!

por: R$ 49,90

ou por 12x de R$ 4,88 com juros

Quantidade

+

-

Adicionar ao Carrinho

Descrição do Produto

PORTFÓLIO MANEJO PARA PRODUÇÃO DE UVAS DE CLIMA TEMPERADO NO BRASIL

CURSO: AGRONOMIA

SEMESTRE: 6º

 

A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como temática a “Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil”. Escolhemos esta temática para possibilitar a aprendizagem interdisciplinar dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre.

 

CONTEXTUALIZAÇÃO  

Situação geradora de aprendizagem (SGA)

A videira pertence ao gênero Vitis, que compreende mais de 60 espécies selvagens interférteis distribuídas na Ásia, na América do Norte e na Europa, sob condições climáticas temperadas, subtropicais, mediterrâneas e continentais. Entre as diferentes espécies existentes, algumas atraem interesse econômico, pois possuem frutos com características para o consumo in natura ou para a elaboração de vinhos e sucos.

Videira é o substantivo usado para designar as espécies botânicas do gênero Vitis (família das vitáceas) que produzem frutos (uvas), dentre as quais duas ganharam maior expressão econômica no mundo: Vitis vinifera – de origem europeia, cujos frutos são classificados como “uvas finas” por apresentarem maiores teores de açúcares, utilizados para consumo in natura, vinhos e outros subprodutos – e Vitis labrusca – de origem norte-americana, cujos frutos são classificados como “comuns” ou “rústicos”, por apresentarem menores teores de açúcares, todavia de manejo mais fácil e mais resistentes ao cultivo em clima tropical. Outras variedades rústicas norte-americanas com importância no Brasil são Vitis bourquina e Vitis aestivalis, utilizadas principalmente na produção de cultivares híbridas.

O termo “vitivinicultura” designa o vasto campo do cultivo e do estudo da videira, abrangendo a viticultura – ou seja, o cultivo da uva para o consumo de frutos in natura, fabricação de sucos, doces, uva-passa etc. – e a vinicultura – focada na produção de bebidas, como vinhos e destilados. É possível haver produtores dedicados aos dois ou a apenas um dos ramos do segmento.

O Brasil possui características climáticas favoráveis, em grande parte de suas regiões, ao aparecimento de doenças em vinhedos que podem afetar diferentes processos fisiológicos da planta e, por consequência, a produção e/ou a qualidade dos frutos produzidos.

Entre os problemas econômicos que as doenças de plantas podem acarretar, estão as perdas de produção de uma lavoura agrícola ou o aumento de custos para controle de doenças. Além das doenças, as mudanças climáticas, também tem contribuído na redução de produção. O melhoramento genético das plantas é uma das principais ferramentas utilizadas para evitar perdas na produção, seja com materiais resistentes às doenças e pragas, seja com tolerância ao estresse hídrico, ou buscando qualidade na composição química dos produtos agrícolas.

Partindo desse pressuposto vocês deverão realizar uma pesquisa acadêmica sobre as informações solicitadas. Vocês deverão responder aos questionamentos elaborados pelos professores do semestre, os quais foram pensados buscando contemplar as diversas disciplinas que o compõe. Vocês deverão esclarecer como o melhoramento genético pode contribuir para o controle de doenças e outras características importantes para a cultura, em seguida, relacionar as doenças, Míldio e Oídio, e o manejo para o controle destas doenças. Verificar, também, a influência das condições climáticas na produção de Uvas. Ainda dentro desta temática, vocês deverão apresentar um sistema de condução das videiras. O sistema de condução exerce influência significativa no desenvolvimento vegetativo da planta, em sua produtividade e na qualidade dos frutos. Já o uso de porta-enxertos com espécies de origem americana na viticultura é prática obrigatória, devido à suscetibilidade das videiras europeias e americanas– utilizadas como “copa” – à praga filoxera (Daktulosphaira vitifoliae). Portanto, vocês deverão verificar os fatores que interferem na propagação de mudas de Uvas.

Essas indagações e reflexões fazem parte da proposta desta atividade que, associadas aos?seus conhecimentos preliminares,?darão base para resolução da presente produção textual.

 

ORIENTAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DO TRABALHO

  • Genética e melhoramento de plantas e animais

O uso de variedades resistentes, obtidas por meio de melhoramento genético, representa uma alternativa para o controle integrado do míldio na videira. Atualmente são propostos na literatura pelo menos 16 genes candidatos envolvidos no controle da resistência ao míldio, identificados pelas iniciais Rpv (Resistance to Plasmopara viticola) e sequencialmente numerados: Rpv1 a Rpv16.

Uma observação muito valiosa para o desenvolvimento de cultivares resistentes de videira é que quando algumas fontes ou genes de resistência ao míldio são combinadas em um só genótipo ou cultivar, os efeitos de cada um podem ser “somados”. Os efeitos aditivos dos locos Rpv1 e Rpv3 já descritos em diversos trabalhos científicos. Para esses genes, a resistência se dá através dos alelos dominantes.

Um determinado programa de melhoramento genético de videiras conta com um grande banco de germoplasma com diversas linhagens que podem ser utilizadas para a produção de novas variedades. Através da caracterização das linhagens resistentes ao míldio, descobriu-se que a linhagem VV064 possui o gene de resistência Rpv1 e a linhagem VV153 possui o gene de resistência Rpv3.

Visando desenvolver uma nova variedade de videira que possua os genes Rpv1 e Rpv3, o melhorista responsável por esse programa de melhoramento decidiu fazer um cruzamento entre as variedades VV064 e VV153 buscando reunir em uma mesma linhagem os dois genes para resistência ao míldio.

Dessa forma, realizando o cruzamento entre linhagens puras de VV064 e VV153, responda os seguintes questionamentos:

  1. Qual a probabilidade de se obter uma linhagem com ao menos um alelo de resistência para os genes Rpv1 e Rpv3 na geração F1?
  2. Qual a probabilidade de se obter uma linhagem com ao menos um alelo de resistência para os genes Rpv1 e Rpv3 na geração F2?
  3. Qual a probabilidade de se obter uma linhagem sem nenhum alelo de resistência para os genes Rpv1 e Rpv3 na geração F2?
  4. Qual a probabilidade de se obter uma linhagem pura com os genes de resistência Rpv1 e Rpv3 na geração F2?
  • Fitopatologia aplicada

A vitivinicultura brasileira é uma atividade importante para a sustentabilidade da pequena propriedade no Brasil, que tem se tornado igualmente relevante no que se refere ao desenvolvimento de algumas regiões, grandes empreendimentos envolvidos no ramo também contribuem com a geração de emprego, tanto na produção de uvas de mesa e uvas para processamento. Entretanto, esta cultura apresenta elevada sensibilidade a patógenos que podem afetar negativamente à produção da cultura da videira, destacando-se os ligados às doenças. Durante todo o ciclo da cultura – desde a poda, passando pela colheita até a queda das folhas –, as videiras podem ser acometidas por diversas doenças.

O Brasil possui características climáticas favoráveis, em grande parte de suas regiões, ao aparecimento de doenças em vinhedos que podem afetar diferentes processos fisiológicos da planta e, por consequência, a produção e/ou a qualidade dos frutos produzidos.

Faça um estudo sobre o “Manejo fitossanitário para o controle de Míldio e Oídio na Viticultura”. Neste estudo, identificar a etiologia e disseminação da doença, verificar quais as condições climáticas favoráveis para a ocorrência da doença e descrever o manejo para controle da doença.

  • Agrometeorologia

A agricultura é a atividade econômica mais dependente das condições climáticas. Os elementos meteorológicos afetam não só os processos metabólicos das plantas, diretamente relacionados à produção vegetal, como também as mais diversas atividades no campo.

Além de influenciar o crescimento, o desenvolvimento e a produtividade das culturas, o clima afeta também a relação das plantas com microorganismos, insetos, fungos e bactérias, favorecendo ou não a ocorrência de pragas e doenças, o que demanda medidas de controle adequadas. Muitas práticas agrícolas de campo, como o preparo do solo, a semeadura, a adubação, a irrigação, as pulverizações, a colheita, dentre outras, dependem também de condições específicas de tempo e de umidade no solo, para que possam ser realizadas de forma eficiente.

De modo geral, as principais variáveis meteorológicas que afetam o crescimento, o desenvolvimento e a produtividade das culturas são chuva, temperatura do ar e radiação solar, havendo ainda a influência do fotoperíodo, da umidade do ar e do solo, da velocidade e da direção do vento.

O planejamento agrícola diz respeito às ações a serem realizadas antes do estabelecimento da cultura, ou seja, quando o empreendimento agrícola começa a ser programado. Em função disso, o planejamento fundamenta-se, basicamente, nas informações do clima e de sua variabilidade interanual, no local de interesse. Dentre as informações agrometeorológicas empregadas no planejamento agrícola, o zoneamento agroclimático é a mais conhecida.

O zoneamento agrícola pode ser empregado não somente para a delimitação de áreas aptas, marginais ou inaptas às culturas, mas também para o estabelecimento das melhores épocas de semeadura, com base em informações probabilísticas, das zonas de maturação de frutos, do risco climático associado aos impactos do déficit hídrico nas culturas, de áreas de escape de doenças, do potencial produtivo e da qualidade dos produtos.

A partir destas informações, faça um estudo sobre o zoneamento climático da cidade de Flores da Cunha, situada na Serra Gaúcha, no RS, para o cultivo de Uva Americana, em solo de textura argilosa. Neste estudo, você precisa verificar qual a época para o plantio de Uva Americana. Após verificar a época adequada para plantio, responda os questionamentos abaixo.

Inicialmente, busque as informações sobre as condições climáticas da cidade de Flores da Cunha, RS (www.agritempo.gov.br, http://www.ciiagro.sp.gov.br/).

  1. Qual a época de plantio de Uva Americana para a cidade de Flores da Cunha, Serra Gaúcha, localizada no Rio Grande do Sul?
  2. Quais os sintomas de deficiência hídrica para uvas de clima temperado?
  3. A videira exige condições climáticas específicas para se desenvolver e produzir frutos de qualidade. Na maioria dos estados brasileiros, existem estudos de macrozoneamento vitícola, baseados, principalmente, no potencial climático e no solo, com a indicação das regiões dotadas de melhores condições para o cultivo da videira. Os critérios utilizados nos zoneamentos levam em consideração, basicamente, a quantidade de horas de frio, os riscos de incidência de doenças fúngicas e a soma de calor efetivo. Indique quais as temperaturas necessárias para o crescimento e desenvolvimento de uvas de clima temperado.
  4. A videira, também, é bastante resistente às altas Entretanto, temperaturas superiores a 40°C são prejudiciais, principalmente, quando associadas à baixa umidade relativa do ar. Quais as consequências causadas por alta temperaturas em associação com baixa umidade relativa do ar?
  • Fruticultura

A estaquia, em conjunto com a enxertia, é o método mais antigo de multiplicação e o mais usado comercialmente para a obtenção de mudas de videira. Enxertar consiste em unir partes de vegetais oriundas de plantas distintas, que vão resultar em uma só planta. Lembrando que porta-enxerto é a porção da planta que forma o sistema radicular, e ele se adapta-se a determinadas condições de solo e clima e se comporta de forma diferente, considerando a variedade enxertada. Enxerto ou garfo é a parte vegetal que dará origem ao sistema aéreo. Porta-enxertos são utilizados quando as condições de solo são adversas ao desenvolvimento radicular da variedade copa (de ordem física - solos de baixa fertilidade, úmidos; ou biológica - fungos e pragas, como nematoides, filoxera, pérola-da-terra).

Os fatores mais importantes para o êxito da enxertia são: compatibilidade e afinidade entre o porta-enxerto e a variedade copa; condições favoráveis de aeração e temperatura do substrato; contato dos tecidos do porta-enxerto e variedade copa, com a boa formação dos tecidos desoldadura, os quais asseguram a circulação das seivas bruta e elaborada.

De modo geral, o sucesso de um parreiral, com boa produção de uvas, tem início com mudas de qualidade. Essas mudas podem ser adquiridas em um viveiro ou produzidas na propriedade, desde que seguidas algumas condições técnicas. A produção de mudas em viveiros tem como vantagem proporcionar uma seleção rigorosa das plantas a serem levadas para o campo. O viveiro para produção de mudas deve ser protegido de ventos fortes, estar próximo a uma fonte de água (em quantidade e qualidade), em solo bem drenado e com boas vias de acesso.

Considerando essas informações, apresente as principais características que mudas de uva de qualidade devem apresentar. E como deve ser realizado o método de estaquia.

  • Construções rurais

Por ser uma planta sarmentosa de hábito trepador, a videira necessita de um sistema de sustentação e condução de seus ramos capaz de propiciar adequada exposição das folhas à luz solar, favorecendo a atividade fotossintética e oferecendo praticidade no manejo da cultura, na área de produção.

Considerando que a implantação dessa cultura requer a construção de um sistema de condução você e sua equipe deverão responder aos questionamentos abaixo:

  1. Apresente e caracterize os três sistemas de condução de videiras mais utilizados no Brasil. Cite as vantagens e desvantagens de cada sistema.
  2. Represente de forma esquemática os materiais, as medidas e a forma de construção de cada um dos sistemas de condução apresentados anteriormente, considerando as recomendações técnicas existentes.
  3. Qual dos sistemas indicados é mais adequado para o cultivo protegido de videiras? Demonstre, de forma esquemática, como é realizada a construção deste sistema, considerando a instalação do suporte para a cobertura plástica.
  4. Citar as fontes de informação técnica utilizadas.

PRODUTOS RELACIONADOS

Produtos Relacionados

Portfólio A cultura do feijão (Phaseolus vulgaris)
Portfólio A cultura do feijão (Phaseolus vulgaris)
R$ 49,90
COMPRAR
Portfólio Os sistemas agroflorestais
Portfólio Os sistemas agroflorestais
R$ 49,90
COMPRAR
Portfólio Manejo do solo para cultivo de Goiaba
Portfólio Manejo do solo para cultivo de Goiaba
R$ 49,90
COMPRAR